Header image alt text


“De que cor é o teu nariz?” contagiou a plateia com alegria e imaginação!

No passado sábado saboreámos um momento importante na vida do CCRAM e que ficou na retina de quantos tiveram o privilégio de o presenciar. O nosso teatro Artes e Magias apresentou-se ao público com a peça “De que cor é o teu nariz?”

As nossas expetativas eram altas. Conhecíamos o profissionalismo, competência e talento da Carla e tínhamos plena confiança em toda a equipa que estava a preparar o espetáculo. O entusiamos era grande e a motivação muito elevada. Logo em setembro a adesão ao projeto foi magnífica e as chegadas ao grupo continuaram a processar-se regularmente, de forma que neste espetáculo participaram 20 crianças e jovens dos 6 aos 14, dois dos quais tinham chegado duas semanas antes!

Não desconhecíamos que o grupo trabalhava com condições muito severas. Uma absoluta falta de dinheiro e de meios a trabalhar com crianças e jovens com 2 meses de ligação ao teatro sem passarem por qualquer casting ou filtro (todos os que chegaram foram integrados) não é uma tarefa fácil em lado nenhum do mundo.

Se a curiosidade era elevada, o resultado acabou por ser fantástico. Um espetáculo que nos levou ao mundo encantado da nossa imaginação. Os sketches sucediam-se e os espetadores (mais de cem que deixaram o espaço a abarrotar de gente, havendo alguns que não conseguiram entrar) cada vez mais entusiasmados. Os mais jovens passaram todo o tempo a dar saborosas e sonoras gargalhadas com o que se passava no palco.

Estamos na dúvida sobre qual o aspeto que mais deve ser mais realçado. Se a organização primorosa global do espetáculo, se a excelente qualidade dos textos, se a escolha extremamente feliz da música, se os sublimes momentos de dança ou se a desenvoltura e o à vontade que os pequenos grandes artistas nos mostraram. Até as mudanças de cenário (que em muitas ocasiões cortam a cadência e o ritmo do espetáculo), foram feitas de forma extremamente agradável com os atores a divertirem o público, acompanhados de música que galvanizou tudo e todos.

Tudo isso foi sublime e no final os elogios foram unânimes.

Atendendo às condições em que este espetáculo foi montado, o resultado foi de excelência. Dificilmente alguém faria melhor! Se no passado recente, nesta casa, se fazia teatro de qualidade, agora estamos a fazer teatro de altíssima qualidade.

Foi construído um espetáculo digno de passar em qualquer sala do país. Que entusiasma miúdos e graúdos. Agora tem de ser mostrado. As crianças das nossas escolas têm o direito de apreciar estes momentos.